Robert Preidt

Repórter do HealthDay

Quinta-feira, 23 de agosto de 2018 (HealthDay News) – Um novo subtipo de esclerose múltipla (MS) foi identificado por pesquisadores, e a descoberta muda a compreensão da doença.

MS tem sido considerada uma doença da substância branca do cérebro, onde as células do sistema imunológico destroem a capa protetora gordurosa (mielina) nas células nervosas. A destruição da mielina (desmielinização) está ligada à morte das células nervosas que leva à incapacidade progressiva em pacientes com EM.

No entanto, o subtipo de MS recém-identificado – chamado mielocortical MS (MCMS) – apresenta a perda de neurônios, mas nenhum dano à substância branca do cérebro.

No estudo, os pesquisadores analisaram o tecido cerebral de 100 pacientes com EM que doaram seus cérebros após a morte. Os investigadores descobriram que 12 dos cérebros não tinham desmielinização da substância branca.

Enquanto vivo, exames de ressonância magnética do cérebro desses 12 pacientes eram indistinguíveis daqueles com MS tradicional, disseram os autores do estudo. Isso porque parte dos neurônios estavam inchados naqueles 12 pacientes e pareciam lesões típicas de MS causadas pela perda de mielina da substância branca. O diagnóstico de MCMS só foi possível após a morte.

Os resultados, publicados on-line em 21 de agosto The Lancet Neurology, mostram que a perda e desmielinização dos neurônios podem ocorrer de forma independente na EM. Isso destaca a necessidade de exames de ressonância magnética mais sensíveis, de acordo com os pesquisadores.

"Este estudo abre uma nova arena na pesquisa MS. É o primeiro a fornecer evidências patológicas de que a degeneração neuronal pode ocorrer sem a perda de mielina da matéria branca no cérebro de pacientes com a doença", disse o líder da equipe, Bruce Trapp. Ele é presidente do departamento de neurociências do Instituto de Pesquisa Lerner, na Cleveland Clinic.

"Esta informação destaca a necessidade de terapias combinadas para impedir a progressão da incapacidade na EM", disse Trapp em um comunicado à imprensa da Cleveland Clinic.

De acordo com outro membro da equipe de pesquisa, Dr. Daniel Ontaneda, "A identificação deste novo subtipo de MS destaca a necessidade de desenvolver estratégias mais sensíveis para diagnosticar e compreender adequadamente a patologia do MCMS". Ontaneda é diretor clínico do programa de doação de cérebros no Mellen Center for Treatment and Research in MS da Cleveland Clinic.

"Estamos esperançosos de que essas descobertas levem a novas estratégias de tratamento sob medida para pacientes que vivem com diferentes formas de esclerose múltipla", acrescentou.

Notícias do WebMD do HealthDay

Fontes

FONTE: Cleveland Clinic, comunicado de imprensa, 21 de agosto de 2018



Copyright © 2013-2018 HealthDay. Todos os direitos reservados.

Artigos interessantes:

Dieta vegetariana: o tofu

Falsos mitos sobre nutrição para corredores

WebMD Health Heroes Celebrity Finalists

Quinton ‘Rampage’ Jackson parece estar em forma estelar para Bellator 192

 Como o ouro é usado na medicina?

 O que funciona melhor – Low Carb ou Low Cal

Como beber cafeína com estratégia para impulsionar sua produtividade

Vinagre de maçã … para azia?

Próspero com diabetes tipo 1