cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

De Steven Reinberg

Repórter do HealthDay

SEGUNDA-FEIRA, 3 de dezembro de 2018 (HealthDay News) – Ainda outro estudo revela que o autismo é muito mais comum do que se pensava, com quase 3 por cento das crianças americanas diagnosticadas com o transtorno.

Um estudo federal publicado na semana passada relatou que uma em 40 crianças tem um transtorno do espectro do autismo (ASD), e um segundo estudo que foi publicado on-line 03 de dezembro na revista JAMA Pediatrics chegou à mesma conclusão. Anteriormente, estimava-se que uma em 59 crianças tenha autismo.

Mais preocupante foi que o Dr. Wei Bao, principal pesquisador do segundo estudo, descobriu que 30% das crianças diagnosticadas não recebem tratamento.

"Sabemos que o autismo pode ter impacto vitalício no indivíduo e na família", disse Bao, professor assistente de epidemiologia na Universidade de Iowa. "Deve haver esforços para reduzir o número daqueles não tratados para o mais baixo possível."

Não está claro quem fez e não recebeu tratamento, acrescentou Bao. Pode ser que crianças não tratadas tenham uma forma muito leve de autismo, ele observou.

"Como a taxa de autismo continua aumentando, mais e mais crianças precisam de tratamento, e muitas podem estar esperando para ver um médico", disse Bao.

As razões mais crianças são identificadas com autismo não são claras, disse Bao. Ele especulou que é provavelmente uma combinação de um aumento real na condição juntamente com um melhor diagnóstico e mudanças nas definições de autismo que identificaram mais formas da doença.

O transtorno do espectro do autismo abrange uma ampla gama de comportamentos que afetam as habilidades sociais e de comunicação de uma criança. Muitas vezes, é marcado pela dificuldade de comunicação, envolvimento em comportamentos repetitivos e interesses restritos. Em sua manifestação mais séria, as crianças podem ser não-verbais e aparecerem isoladas do mundo. Muitas crianças, no entanto, têm formas menos graves de autismo e são capazes de funcionar na escola e em situações sociais.

O autismo é frequentemente tratado com medicamentos que ajudam a aliviar os sintomas e também a terapia comportamental. Quase 64 por cento das crianças com o transtorno no estudo receberam tratamento comportamental, e 27 por cento tomaram medicamentos, descobriu a equipe de Bao.

Contínuo

Os pesquisadores também encontraram diferenças geográficas em que o autismo é mais ou menos comum. Bao não sabe ao certo por que essas disparidades existem – pode ser devido à prevalência de diagnósticos, diferenças em grupos raciais e étnicos ou desencadeantes ambientais, sugeriu ele.

Para o estudo, Bao e colegas coletaram dados sobre 43.000 crianças que participaram da Pesquisa Nacional de Saúde Infantil de 2016. Os investigadores descobriram que 2,8 por cento das crianças foram diagnosticadas com autismo. O mesmo banco de dados foi extraído no estudo anterior do governo.

Thomas Frazier é diretor científico da Autism Speaks, uma organização de defesa do autismo. Ele disse: "O número um em 40 deste estudo mostra que o TEA é comum e contribui para os dados que indicam que a prevalência do autismo continua a aumentar".

O autismo é e deve continuar a ser uma prioridade de saúde pública, disse ele, então "precisamos entender por que a prevalência está aumentando".

Este estudo e estudos anteriores mostraram que muitas crianças com autismo não estão sendo identificadas o mais cedo possível, acrescentou Frazier. "Mesmo quando as crianças são identificadas cedo, muitos têm dificuldade em acessar tratamentos e serviços", disse ele.

Várias coisas podem ser feitas para melhorar essa situação, sugeriu Frazier. Por exemplo, é necessário um melhor acesso ao tratamento, especialmente em áreas onde a disponibilidade de serviços é limitada. Além disso, os pais precisam de treinamento em técnicas que se mostraram eficazes para melhorar as habilidades de desenvolvimento de crianças com autismo.

Frazier também disse que o seguro de saúde precisa cobrir o tratamento do autismo, e o financiamento público é necessário para cobrir o tratamento para os não segurados.

É importante ressaltar que "as famílias precisam estar conectadas a intervenções e outros suportes assim que uma condição de desenvolvimento for identificada".

Notícias do WebMD do HealthDay

Fontes

FONTES: Wei Bao, M.D., Ph.D., professor assistente, epidemiologia, Universidade de Iowa, Iowa City; Thomas Frazier, Ph.D., diretor de ciências, Autism Speaks; 3 de dezembro de 2018,JAMA Pediatrics, conectados



Copyright © 2013-2018 HealthDay. Todos os direitos reservados.

Textos que podem interessar:

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

Dicas para evitar a falta de vitaminas

Fadiga crônica: diagnóstico, sintomas e dieta

Por que você deve parar "Fazendo isso para o Insta"

Os 10 melhores suplementos pré-treino para 2018

 12 Razões para viver um estilo de vida saudável

Alguns Positivos Associados à Saúde

As pessoas não devem ter problemas em digerir erros. Mas alguém vai comê-los?

"Me time" parece bom, mas quando exatamente?

Próspero com diabetes tipo 1

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br