[VIAJAR A MELBOURNE] O que ver e lugares essenciais para visitar

[VIAJAR A MELBOURNE] O que ver e lugares essenciais para visitar

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

Este é um post convidado de Haritz Bechet, da Australiaje.


Bom dia companheiro!

Antes de mais, gostaria de agradecer a Antonio G. do fundo do meu coração pela oportunidade de escrever neste site de referência para viajantes de língua espanhola e nômades digitais.

Meu objetivo é retribuir o favor, então Garanto-lhe que darei 100% neste artigo.

Aproveite esta oportunidade para uma breve apresentação antes de entrar no assunto, se você pensa:

Meu nome é Haritz e eu tenho vivido em Melbourne, então algo que eu sei do que vim lhe dizer aqui. 😉

Com o meu projeto on-line, ajudo pessoas que sonham em viajar para a Austrália a reduzir essa ilusão à realidade.

Talvez soe como os 100 melhores blogs de viagens em espanhol 2018/2019.

Se você ainda não o leu e se considera um verdadeiro viajante, já está demorando um pouco para dar uma olhada …

Contents

Por que Melbourne

Muitas pessoas me perguntam por que escolhi Melbourne à frente de Sydney.

A resposta simples e rápida é a seguinte: É onde está localizada a subsidiária australiana da empresa em que trabalho.

Você sabe como está a situação do mercado de trabalho na Espanha, infelizmente, não vou descobrir nada que você não saiba neste momento.

Meu caso é um pouco diferente da maioria dos jovens que emigram de seu país para encontrar algo melhor, mas a realidade é que eu também procurei melhorar minha qualidade de vida e condições de trabalho. Por enquanto acho que Entendi, então não posso estar mais feliz com minha decisão.

Dois anos depois, quando me mudei para Melbourne, decidi lançar meu projeto on-line, onde compartilho todas as minhas dicas, truques e experiências pessoais reunidos após minhas dezenas de viagens pela Austrália.

Além disso, você pode contar com meus serviços para aconselhá-lo a planejar a viagem que você sonhou durante toda a sua vida.

Organizar viagens sempre foi algo que me assustou, desfrutando quase tanto quanto quando estou viajando. Ficarei feliz em ajudá-lo a preparar seu itinerário ideal.

No caso da pergunta “Por que devo visitar Melbourne?”, Posso estender tudo o que preciso para acabar convencendo você. E é exatamente isso que vou fazer neste artigo.

Viajar para Melbourne
O que ver em Melbourne: o horizonte da cidade à noite.

Com este mega guia, fornecerei todas as informações necessárias viajar para Melbourne sem dúvidas ou problemas.

Pronto? Bem, vamos à bagunça. 🙂

Como preparar a viagem a Melbourne

Quando nosso objetivo é viajar para um país tão longe quanto a Austrália, ter alguma preparação prévia é indispensável na minha opinião.

Nesta seção, explicarei quais são as noções básicas que você precisa saber antes de viajar para Melbourne, para não estragar tudo desde o início e depois não há como voltar atrás.

Além disso, uma prática altamente recomendada é planejar o seu itinerário perfeito pela Austrália.

Organizar os pontos principais da sua viagem proporcionará uma tranqüilidade extra que você apreciará quando estiver dirigindo a vastidão do subcontinente australiano.

Você sempre tem a possibilidade de modificá-lo mais tarde, com total liberdade, quando se apaixona por um lugar específico.

Se você não quer que sua viagem à Austrália seja uma porcaria, prepare seu itinerário com antecedência. Clique para Tweet

A última coisa que quero é que você precise remover sites essenciais da sua lista por não ter calculado corretamente os tempos e as distâncias.

Vamos agora com o que seriam os pontos mais importantes a considerar.

1. Documentação necessária para entrar no país

Para que os agentes aduaneiros australianos amigáveis ​​o deixem entrar no país, você só precisa de 3 documentos:

  • Passaporte para que NÃO expire antes de 6 meses.
  • Visto australiano válido.
  • Cartão de entrada de passageiros (Cartão de entrada de passageiros)

Como somos brevemente, explico a você o que quero dizer com os dois últimos documentos, então você não tem dúvidas.

A. Visto australiano

A Austrália é um daqueles países onde é necessário ter um visto válido para acessá-lo.

O visto de turista mais comum e mais fácil de obter é o eVisitor (subclasse 651).

Este documento está relacionado digitalmente ao seu passaporte quando você o solicita no link anterior; também é totalmente grátis 🙂

Embora não seja obrigatório imprimi-lo, minha recomendação é que você o imprima apenas por precaução. Uma vez, me poupou muito tempo de espera enquanto a equipe o procurava em seu banco de dados.

É válido por 1 ano no total, e a permanência máxima contínua na Austrália é de 3 meses.

B. Cartão de entrada de passageiros

O cartão de entrada de passageiros é o outro documento que você precisa apresentar sim ou sim ao passar pela alfândega. O mais normal é que eles o distribuam no mesmo avião que vai pousar na Austrália.

Não se preocupe se eles não derem a você ou se você ficar esfregado em seu assento confortável e isso acontecer com você. Depois de pousar, você tem milhares de cópias em qualquer idioma em que puder pensar.

Você pode ver como este documento se parece em espanhol aqui.

É MUITO importante que você preencha este formulário correto e sincero!

Se você tem a menor dúvida, basta marcar que «Sim»Na caixa correspondente.

Que isso não acontece com você como o pobre infeliz do mítico programa de Controle Aduaneiro, por favor.

2. O que levar na sua mala

Eu tenho como certo que você não vai atravessar metade do mundo e praticamente usar os antípodas para viajar apenas para Melbourne.

Se você é um nômade digital de nível Jedi Master como Antonio, poderá colocar tudo o que precisa dentro de sua mochila de 50 litros.

Ouso fazer isso e compartilhar uma foto da sua mochila mágica. Minha namorada vai agradecer do fundo do meu coração.

Mas se você é um mero mortal como eu, acho que terá que verifique uma mala e leve outra.

O que realmente nos interessa é nossa bagagem de cabine, aquela que você sempre carregará com você e da qual não estará separada por nada do mundo.

Esta seria minha lista essencial, sem contar os 3 documentos mais importantes mencionados antes:

  • Voucher e números de contato do seu seguro de viagem.
  • Carta de condução internacional. Use este link para processá-lo na Espanha.
  • Smartphone grátis para você obter um SIM australiano.
  • Adaptador de energia universal ou australiano. Se for assim, funcionará bem.
  • Passagens aéreas sempre impressas, por favor. Você nunca sabe quando a bateria do seu celular vai dizer “agur”.
  • Cartão de crédito e débito Em alguns lugares, eles não permitem alugar veículos sem cartão de crédito.

E com isso você quase tem tudo pronto para começar a viagem. 😉

3. Moeda Australiana (AUD)

Lamento dizer que, por mais que a Austrália participe do Eurovision todos os anos, ela não faz parte da União Europeia. Com esta piada de mau gosto, gostaria de informar que os euros não valerão nada aqui.

A moeda oficial usada em toda a Austrália e parte dos países do Oceano Pacífico é a Dólar australiano (AUD).

Se você precisar trocar dinheiro, evite opções de aeroportos, como a praga. Você é notificado …

No centro de Melbourne, você tem muitas casas de câmbio com preços muito mais competitivos do que os que você encontrará no aeroporto.

Sempre usamos este em particular, pois é o que geralmente oferece a melhor mudança e os proprietários são realmente encantadores.

Um 1 de junho de 2019, a mudança está em 1 AUD = 0,62 €.

Para ter certeza e não atrapalhar quando você paga alguma coisa, baixe o aplicativo XE Converter sem falhas.

4. Clima

Se há uma coisa que eu odeio na minha amada cidade de Melbourne, deve ser o clima. Não porque é ruim, muito menos, se não porque é bastante imprevisível.

Observar a previsão do tempo 1 semana antes de sua viagem a Melbourne é mais um ato de fé do que uma ciência exata, prometo.

A famosa frase “quatro estações em um dia” reúne mais dias do ano do que eu gostaria de reconhecer.

Os acolhedores Melbournians dizem que, se você não gosta do clima, basta esperar 15 minutos para que ele mude. Clique para Tweet

Melbourne tem um mudança de clima temperado com 4 estações relativamente bem definido. Lamento dizer que em todas as partes da Austrália nem sempre há sol e bom tempo para ir à praia.

Lembre-se de que ele está localizado no Hemisfério Sul, portanto as estações são inversas que na Espanha:

  • Verão = Dezembro – fevereiro: as temperaturas médias são mínimas. 13 ° C – máx. 26 ° C
  • Outono = Março a maio: as temperaturas médias são mínimas. 10 ° C – máx. 20 ° C
  • Inverno = Junho a agosto: as temperaturas médias são mínimas. 5 ° C – máx. 14 ° C
  • Primavera = Setembro – novembro: as temperaturas médias são mínimas. 9 ° C – máx. 19 ° C

Como você pode ver, o clima em Melboune é ótimo.

Viajar para Melbourne
O que ver em Melbourne: rio Yarra no verão.

Talvez agora você esteja se perguntando o seguinte:

Quando ir: a melhor época para viajar para Melbourne

Continue lendo, porque então eu digo minha opinião com base na minha experiência. 😉

5. Melhor época para visitá-lo

Obviamente, dependerá de suas possibilidades e gostos pessoais, qual é o melhor momento para visitá-lo em particular.

Se considerarmos o clima, e como você ama o calor, fica claro que sua melhor opção é verão.

Mas há outra questão muito importante que muitas pessoas ignoram e é um fator determinante no custo e no conforto de sua viagem a Melbourne.

Estas são as estações que você deve evitar se quiser evitar acomodações muito caras ou multidões excessivas nas principais atrações turísticas:

  • Férias de Natal.
  • Mês de janeiro. Para os australianos, seria como em agosto, e as crianças tiram férias de verão.
  • Férias da Páscoa ou Pascoa.
  • As 2 semanas centrais de julho. Eles também são férias escolares.
  • Primeira semana de novembro. É o Taça de Melbourne e pessoas de toda a Austrália vêm para ver “a corrida de cavalos que paralisa o país”.

Sabendo disso, a melhor época para viajar para Melbourne é os meses de fevereiro e março.

Lembro-lhe que é verão e que, embora a média máxima seja de 26 graus, é bastante comum ter alguns dias por mês em torno de 40 ° C.

Voos para Melbourne

O mais comum é que as passagens aéreas são as maiores ou uma das maiores despesas que você terá que enfrentar em sua viagem a Melbourne.

É por isso que é especialmente importante prestar atenção e usar todos os truques e informações à nossa disposição para economizar o máximo possível.

Não me considero um especialista no assunto, muito menos, mas “o professor” Antonio vai me deixar com problemas com o seguinte artigo que é absolutamente essencial: Megatutorial Skyscanner. Como encontrar os voos mais baratos de qualquer lugar do mundo.

Para ser sincero, verifico toda vez que vou comprar novas passagens de avião, só por precaução.

Há momentos em que alguns truques não podem ser utilizados por razões fora de seu controle e nunca é demais checá-lo para que você não esqueça nada no tinteiro. 😉

1. Aeroporto de Tullamarine

O principal aeroporto de Melbourne está localizado no subúrbio de Tullamarine, a cerca de 23 quilômetros a noroeste do centro da cidade.

Este é provavelmente o lugar onde você pousa se chegar de avião a Melbourne. É o usado pela maioria das empresas internacionais e locais.

O que ver em Melbourne
Viajar para Melbourne: Pôr do sol no aeroporto de Tullamarine.

O seu código IATA é MEL. Portanto, você não se envolve em confirmar seu ingresso.

Eu recomendo que você use este aeroporto, a menos que haja uma grande diferença de preços com o seguinte.

2. Aeroporto de Avalon

O aeroporto secundário de Avalon é o menor e o mais distante do centro de Melbourne.

Ele está localizado a cerca de 50 quilômetros a oeste, mais perto da cidade de Geelong.

O seu código IATA é AVV. Possui conexões com outras 3 cidades importantes da Austrália: Sydney, Gold Coast e Adelaide.

A única companhia aérea internacional que opera neste aeroporto é AirAsiaX. Oferece voos de baixo custo para e de países como Malásia e Indonésia principalmente.

Como ir do aeroporto para a cidade de Melbourne

Há uma segunda (e última) coisa que não me convence muito de Melbourne.

Leia Também  Aeroscopia, o museu aeronáutico de Toulouse - 3viajes

Não gosto de vender apenas a parte super positiva das coisas, já que não é realidade. Prefiro ser honesto e perder um cliente que pinta tudo de rosa e depois dá um clique.

A acessibilidade dos dois aeroportos de Melbourne eles deixam o suficiente para ser desejado para um país como a Austrália.

Você não tem opção de transporte público real, nem existe um trem ou metrô econômico que vá para um dos dois.

De qualquer forma, não é o fim do mundo, e eu já lhe digo que é algo a ser observado por ser um país tão desenvolvido quanto este.

1. SkyBus

Embora falemos de ônibus, não é uma alternativa puramente pública, pois é uma empresa semi-privada.

O preço do bilhete de ida é 18.75 AUD para o centro da cidade de Tullamarine. Se você chegar ao aeroporto de Avalon, o custo sobe para 24 AUD.

Aconselho que você reserve os ingressos no site oficial, já que economiza alguns centavos.

Além disso, você pode ver os diferentes horários e durações das rotas específicas.

Como uma parte extra positiva, é que o ônibus oferece Conexão à Internet via Wi-Fi. E a verdade é que ele é rápido o suficiente para ser um veículo em movimento.

2. Uber

A empresa de renome mundial Uber Opera como um encanto em toda a área metropolitana de Melbourne.

É bastante comum ver pessoas esperando pelo motorista do Uber em a área de pick up público, assim que você sair do terminal.

Você pode usar o Wi-Fi gratuito do aeroporto para solicitar seu carro e depois buscá-lo.

O bom de fazer isso é que você pode verificar se o preço da viagem Digite dentro do seu orçamento ou não.

3. Táxi

No caso de você não querer esperar 10 minutos ou não se dar muito bem com a tecnologia, o táxi é para você.

Você deve saber que os táxis em Melbourne são muito mais caros do que qualquer outro meio de transporte. Em comparação com Uber eles podem cobrar entre 20 e 30% a mais.

Eu não aconselho você a usar nenhuma dessas duas opções do aeroporto de Avalon. A piada pode custar mais de 100 dólares australianos.

Onde dormir em Melbourne

Caso você ainda não tenha notado ou seja um pouco sem noção, eu confirmo: A Austrália é cara em geral.

Este país não se destaca especialmente por ser um destino barato, pois o padrão de vida e os salários aqui são muito altos.

Mas isso não significa que não há alternativas para todos os gostos e orçamentos, não se desespere. Aqui eu mostro todas as possibilidades para que você escolha a que melhor lhe convier.

1. Luxo a toda velocidade ($$$$)

Os australianos amam o luxo e tudo o que tem a ver com a aparência é um fato. Não quero dizer que todo mundo faz isso, mas isso realmente chamou minha atenção desde o início.

Dito isto, espero que haja uma grande quantidade e variedade de Hotéis de 4-5 estrelas ou mais.

Estes seriam os mais notáveis ​​da CBD (Central Business District) e Southbank:

Hotéis de luxo em Melbourne para grandes orçamentos. 😉

Coisas para fazer em Melbourne
O que ver em Melbourne: Royal Arcade Gallery.

Agora vai depender de quanto você pode gastar, mas se seu orçamento for mais apertado ou você for de mochila às costas, deixo opções para todos os gostos.

2. Conforto e boa localização ($$$)

Se os hotéis de luxo anteriores ficarem um pouco fora de controle como eu, vamos para um nível mais baixo.

Aqui eu colocaria o hotéis típicos de 3 estrelas Com um bom valor e uma excelente localização. Na maioria dos casos, eles estariam localizados muito centralmente, o que os torna um pouco caro, talvez ainda.

Para esse tipo de acomodação, recomendo que você sempre use o mecanismo de busca da Booking.com.

Os 3 melhores hotéis que possuem todas essas características são os seguintes:

Mas vamos continuar explorando mais opções.

3. Viajantes com um orçamento mais apertado ($$)

Embora os hotéis vistos na seção anterior ofereçam uma qualidade muito boa pelo preço, podemos ir além.

Caso seu orçamento seja mais apertado, aconselho você alugar um apartamento usando Airbnb.

Se você se registrar através deste link, terá um desconto de 25 €. 😉

As áreas com as ofertas mais competitivas geralmente são bairros um pouco mais longe do centro de negócios.

Preste atenção especial ao subúrbio e à praia de St. Kilda, pois é aí que há uma variedade maior. Você já deveria saber: a famosa lei da oferta e demanda.

4. Mochileiros e poupadores ($)

Para mochileiros e poupadores inveterados, também temos muitas opções na cidade de Melbourne. No entanto, não espere preços tão baixos quanto os do Sudeste Asiático na Austrália.

Qualquer mochileiro bem localizado, é fácil custar-lhe cerca de 25-30 AUD por noite em quarto compartilhado.

Se você estiver procurando por alternativas mais desconfortáveis ​​e remotas, poderá encontrar preços mais baratos, mas, na minha opinião, não vale essa pequena diferença.

Eu recomendo estes:

  1. Melbourne Central YHA.
  2. United Backpackers
  3. Mochileiros da cidade de Melbourne.
  4. Nômades Melbourne Backpackers.
  5. Todas as nações Backpackers.

Este seria o meu TOP5 de mochileiros localizado no centro de Melbourne, em ordem.

5. O melhor truque para ficar quase livre

Se você já é um viajante experiente acostumado a viajar quase sem dinheiro, dou meus sinceros parabéns.

Esta seção é para aqueles estagiários nômades digitais Eles ainda são um pouco verdes, assim como eu.

Tanto em Melbourne quanto no resto da Austrália, existe uma prática que funciona muito bem e que poucas pessoas usam regularmente no momento. Eu falo de Casa sentada.

Não vou mexer muito em explicar isso, mas basicamente você cuida da casa de alguém (e às vezes o animal de estimação) em troca de ficar livre.

Se você quiser saber mais, dê uma olhada neste guia muito completo que meus colegas de equipe do Naranjarte prepararam para você.

Como se deslocar em Melbourne

Para se deslocar em Melbourne, você tem todas as maneiras diferentes que você pode imaginar em uma cidade grande.

Depende de suas preferências pessoais nesse aspecto para escolher a ideal para você. Todos eles têm seus prós e contras, como poderia ser de outra forma.

Embora provavelmente, se você passar vários dias, acabará usando uma mistura dos explicados abaixo.

1. Transporte público

Esta cidade foi projetada para favorecer o uso do transporte público, o que é muito bom para visitantes e turistas. Como motorista regular em Melbourne e arredores, devo admitir que isso não me beneficia muito.

Aqui está a rede de bonde elétrico (bonde) mais extensas do planeta, para que você entenda a ideia. Mais de 250 quilômetros de estradas na estrada, com mais de 1.700 paradas e 24 linhas.

Metrô de Melbourne É uma alternativa mais rápida que o bonde, mas tem menos linhas e chega a menos lugares.

Além disso, existem várias linhas de ônibus que operam em horários noturnos ímpares, para quem mais “se envolve”.

A maneira mais fácil de ter todas as informações necessárias na palma da sua mão é fazer o download do aplicativo para smartphone PTV (Public Transport Victoria).

É grátis e funciona como uma porra de mãe, falando mal e rapidamente. É a melhor aplicação de transporte público que eu tentei pelo menos.

A. Cartão Myki

Para usar qualquer um dos três métodos mencionados acima, você precisa ter um Cartão Myki com saldo. Em Melbourne, você não pode pagar pelo transporte público em dinheiro.

É importante ter isso em mente para que você não tenha uma cara de boba ao entrar no bonde ou precise descer novamente.

Cartão Myki custa 6 AUD e você pode comprá-lo em qualquer estação de metrô, na máquina ou nas bilheterias. Ali você pode recarregá-lo (encher) o que você precisa.

Também é possível adquiri-lo e colocar dinheiro em alguns 7-Eleven, mas eles nem sempre têm unidades.

Ele viagem única custa 4,40 AUD, para que você possa colocar 10 dólares australianos para começar a jogar sem problemas.

Não se esqueça de fazer toque em (passe o cartão pelo leitor) quando você pega o bonde. Dessa forma, se você for solicitado pelo Myki, os revisores não fornecerão nenhum problema.

Agora também há a opção de ter um cartão virtual usando Mobile Myki. Apenas para celulares com sistema operacional Android.

B. Conselho de especialistas para mudar de graça

Existem alguns truques que você não deve hesitar em usar para se mover de graça dentro do centro de Melbourne.

O primeiro e mais popular de todos é a zona de bonde gratuito. Não há nenhum gato trancado, é como você o vê lá. O bonde elétrico em torno do CBD em Melbourne é grátis!

Você verá que todo mundo que sobe bonde No centro, seu cartão não passa pelo leitor. Isso porque ele pretende descer em outra parada dentro da zona franca e, portanto, não é necessário fazê-lo.

O outro bonde que você pode desfrutar de graça é o Bonde City Circle ou número 35.

É um estilo de bonde vintage velho, que percorre o centro em um circuito de cerca de 45 minutos. Opera em ambas as direções a cada 12 minutos.

Estas são as horas em que funciona, para que você não perca:

  • Domingo a quarta-feira: 10h – 18:00
  • Quinta a sábado: 10h – 21:00

É muito legal porque também é equipado com alto-falantes que explicam em inglês as principais atrações turísticas o que você passa

Certamente, é uma excelente maneira de analisar rapidamente o que é importante sem suar ou abrir a carteira.

O que ver em Melbourne
O que fazer em Melbourne: Bonde 35 (City Circle) grátis

2. UberPool

Não sei se você estava ciente ou não, mas o Uber agora oferece a possibilidade de compartilhar um veículo com outro usuário. Não custa nada ter outra alternativa para dar uma olhada.

Em Melbourne, funciona muito bem e é mais uma maneira de economizar Algumas putas sem perder muito conforto. Quem sabe, você pode até encontrar um bom companheiro de viagem. 😉

O UberPool procura usuários que desejam viajar na mesma direção que você e distribui automaticamente o custo total entre eles.

Às vezes, não o deixa exatamente onde você queria, mas você nunca precisa andar mais do que 5 minutos extras para chegar ao seu destino.

3. Uma cidade para desfrutar a pé

Mas a minha maneira favorita de se deslocar em Melbourne tem sido, é e sempre será percorrê-la. A verdade é que é uma cidade muito administrável e quase tudo está a uma distância a pé.

Esta cidade esconde muitos recessos, becos e jóias escondidas apenas ao alcance dos mais curiosos. Você nunca sabe qual parede o surpreenderá com um novo grafite verdadeiramente espetacular.

A arte urbana de Melbourne é uma das mais famosas e aclamadas do mundo. Clique para Tweet

Se o tempo acompanhar, reserve 1 ou 2 horas Pelo menos, caminhar com calma e cuidado pelo centro da cidade.

Por fim, gostaria de recomendar uma das atividades mais elegantes do turismo urbano: o passeio a pé gratuito.

Existem algumas agências que oferecem esse tipo de serviço no centro de Melbourne. Na minha humilde opinião, o melhor de tudo é isso, e você também tem a opção de fazê-lo em espanhol.

Normalmente, a duração total da viagem é de cerca de 2 horas e meia, mas vale muito a pena.

Não esqueça de deixe uma dica em conformidade Para a qualidade do passeio e o guia, por favor. Lembre-se de que essas pessoas vivem principalmente desse dinheiro, portanto sua contribuição será bem-vinda, não importa quão pequena seja.

O que ver em Melbourne: os 10 lugares essenciais para visitar

Agora, finalmente, revisaremos juntos quais são os lugares que você deve ver sim ou sim durante sua viagem a Melbourne. Eu preparei esta lista de 10 lugares essenciais para tornar as coisas um pouco mais fáceis e dar dicas para visitar Melbourne.

Esta cidade oferece um número infinito de atrações e atividades turísticas para todos os públicos. Depende do tempo que você tiver que usar em Melbourne e arredores, para saber o que pode desfrutar.

Prevejo que todos e cada um dos locais mencionados abaixo sejam completamente grátis. Dessa forma, você não poderá inventar desculpas para visitá-los sem exceção.

Eles devem ser suficientes 2 dias completos em Melbourne para lhe dar tempo para ver todos eles sem problemas. Você pode dormir na cidade por 1 ou 2 noites, dependendo do seu itinerário.

Normalmente, não recomendo passar mais de 3-4 noites em Melbourne, pois os arredores têm muito a oferecer para ignorar.

Começamos, estes são meus Melbourne essenciais.

1. Estação Flinders Street

O símbolo mais reconhecido da cidade e a marca registrada em quase todos os cartões postais de Melbourne.

Estação central O sistema ferroviário e metrô foi a primeira estação construída em toda a Austrália. A partir daqui, a primeira locomotiva a vapor do país começou no ano de sua inauguração: 1854.

Está localizado no cruzamento da Flinders e Swanston, as 2 principais ruas do centro da cidade. A costa do rio Yarra fica ao lado desta famosa estação, assim como de muitos outros lugares de destaque.

Sua fachada é especialmente bonita em um dia ensolarado ou à noite, graças às diferentes cores que a iluminam.

Você verá muitas pessoas com câmeras mais caras que o seu carro e seus tripés, levando milhares de instantâneos do lado oposto da rua. Esse é sem dúvida o melhor ponto de onde obter sua foto de postura perfeita. 😉

2. Faixa Hosier e Faixa AC / DC

Mencionei anteriormente que Melbourne é a capital australiana da cultura por excelência. Destaca-se acima de tudo por sua incrível arte urbana na forma de grafite colorido que adornam as paredes mais inesperadas.

Mas existem 2 becos que ganharam sua merecida fama e meu coração. Esses são Pista Hosier e Pista AC / DC, ambos localizados muito perto da estação de trem Flinders.

É aqui que você pode testemunhar as obras de arte de rua mais espetaculares de toda a Melbourne e Austrália.

E o melhor de tudo, as fotos que você pôde ver anteriormente podem não ter nada a ver com a realidade atual. O grafite muda quase toda semana, e os artistas sempre tentam superar seus antecessores.

Coisas para fazer em Melbourne
O que ver em Melbourne: pista AC / DC.

Embora os maiores e mais preciosos tendam a durar muito mais tempo.

Se você tiver a hora certa, não poderá perder essas duas ruas estreitas. Mas se você tiver horas de sobra, recomendo que você dê uma olhada neste itinerário oficial para ver todos os grafites e Os segredos escondidos de Melbourne.

3. Praça da Federação

Localizado em frente à estação ferroviária de Flinders e ao beco Hosier Lane, este é outro ponto obrigatório em Melbourne.

Leia Também  No final do ano, você pode reservar uma viagem de cruzeiro Star Wars - Alan x el Mundo

Este é um ponto de encontro muito frequente, tanto australianos como expatriados e imigrantes.

O multiculturalismo é um dos adjetivos que melhor define um país como a Austrália. Clique para Tweet

A praça Federation Square foi construída muito depois da estação de trem, a poucos metros de distância. Sua arquitetura moderna contrasta fortemente com os edifícios clássicos que a cercam.

Melbourne também se destaca por essa bela disparidade entre o antigo e o futurista. É por isso que é uma cidade que geralmente se apaixona por arquitetos e fãs.

Na Federation Square, todo fim de semana, algo é preparado, e é por isso que é a atração mais visitada da cidade. Seu programa de atividades culturais e festivas é interminável.

Seus museus gratuitos também são dignos de nota. Para destacar a ACMI, onde você pode assistir sem pagar o desenvolvimento da indústria de filmes, TV e videogame na Austrália.

4. Santuário da Lembrança

Meu lugar favorito, sem dúvida, na cidade de Melbourne, onde moro há quase 4 anos. Para mim, isso tem um significado especial, pois foi aí que eu percebi que havia finalmente cumpriu meu sonho de viajar para a Austrália.

O Santuário da Lembrança é um monumento que foi construído em homenagem a quem caiu na Primeira Guerra Mundial. Agora serve como uma comemoração a todos os australianos que serviram em qualquer guerra.

Sua arquitetura é de estilo clássico, baseada no Mausoléu de Halicarnasso, uma das 7 Maravilhas do Mundo Antigo.

O que ver em Melbourne
Qué hacer en Melbourne: Vistas desde Shrine of Remembrance.

Es imprescindible acercarse a este monumento aunque solo sea para disfrutar de las maravillosas vistas panorámicas al skyline de Melbourne. Para subir al balcón del piso superior llega antes de que cierre a las 5 de la tarde.

Su museo de guerra también merece muchísimo la pena, y está ubicado en la parte subterránea. La entrada es gratis, pero verás que mucha gente dona dinero para que se mantenga en su perfecto estado.

5. Royal Botanic Gardens

Esa enorme arboleda y zona verde que se puede ver en la imagen de arriba son los Royal Botanic Gardens. Los gigantescos jardines botánicos de Melbourne están situados entre el Shrine of Remembrance y el centro de la ciudad.

Albergan decenas de zonas para pasear, y miles de especies de plantas de todo tipo.

Una buena idea es la de caminar por sus lagos e invernaderos para que el trayecto de ida y vuelta sea mucho más ameno y relajante.

Si te encantan los parques y quieres exprimir tu visita al máximo, no dejes de recorrer el Tan Track que da la vuelta completa a los Jardines.

Durante sus casi 4 kilómetros de camino, podrás ver los highlights del parque. Eso sí, ten cuidado con los corredores que lo frecuentan, ya que es muy popular entre la comunidad runner de la ciudad.

6. Royal Exhibition Building y Carlton Gardens

Los Carlton Gardens están situados en la zona opuesta de los Jardines Botánicos, en el norte del CBD de la ciudad.

Este parque es el hogar del Royal Exhibition Building, y ambos forman el único Patrimonio de la Humanidad por la UNESCO de Melbourne. 1 de los 19 que actualmente ostenta Australia.

Se contruyó inicialmente para celebrar las famosas exhibiciones internacionales que tuvieron lugar entre los años 1851 y 1915 en varias ciudades distintas en todo el mundo.

El Royal Exhibition Building no está abierto para visitas, pero se puede acceder durante varios festivales de muy distintas índoles: tatuajes, cerveza, mercado de granjeros, etc.

Qué hacer en Melbourne
Qué ver en Melbourne: Royal Exhibition Building y Melbourne Museum.

Además de este histórico edificio, los jardines de Carlton albergan el Museo de Melbourne. De nuevo, una contrucción mucho más moderna que su vecina, para darle otro toque de distinción al parque.

El Melbourne Museum ofrece exhibiciones fijas de historia y ciencia natural muy recomendables, pero su precio puede resultar algo caro si no estás demasiado interesado en la temática.

7. Queen Victoria Market

El Queen Victoria Market es el mercado más importante de Melbourne, y el único del siglo 19 que sobrevivió en el centro de la ciudad.

Se trata además del mercado al aire libre más grande del hemisferior sur, con 7 hectáreas. Esto quiere decir que tienes muchísimos puestos de todo tipo donde elegir la mejor oferta existente.

En el caso que seas un amante empedernido de los souvenirs baratos o las manualidades, este es el lugar que no puedes dejar de visitar.

También es un sitio inmejorable para hacer tus compras semanales a precios de risa si esperas a la última hora, justo antes de que cierre.

El producto suele ser de muy buena calidad, con fruta, pescado y carne fresca recién traída de las zonas rurales de Victoria.

Durante los 3 meses de invierno, existe también el mercado nocturno cada miércoles, donde hay muy buen ambiente y cientos de opciones de comida callejera donde elegir.

8. Barrio de Fitzroy o Chapel Street

Melbourne es también la ciudad más cosmopolita y hipster de todo Australia. Esta subcultura de modernez bohemia y tendencias alternativas e independientes, tiene su capital aquí.

Los dos ejemplos más claros dentro de Melbourne son el barrio de Fitzroy y Chapel Street.

A Fitzroy se puede acceder desde Flinders Station a bordo del tram número 11, que te deja en la calle principal Brunswick Street. También puedes acercarte andando si el tiempo acompaña, ya que no se tarda demasiado desde el centro.

Todos los establecimientos de este barrio tienen ese rollito cool que tanto caracteriza a esta maravillosa ciudad.

Para llegar a Chapel Street, puedes ir en metro más rápido, y bajarte en la parada de Prahran Station. Esta calle es famosa en Melbourne por su vida nocturna, tiendas de moda y restaurantes de renombre.

Qué ver en Melbourne
Qué hacer en Melbourne: Chapel Street en el suburbio Prahran.

Se puede observar cómo la calle va cambiando a medida que cruza los distintos barrios: South Yarra, Prahran y Windsor.

Personalmente te recomendaría que reservaras algo de tiempo para pasear y tomar algo en estos 2 lugares si te es posible. De esta forma podrás saborear en primera persona la verdadera vida local de Melbourne.

8. State Library of Victoria

Otro de los máximos exponentes de la arquitectura clásica dentro del CDB de Melbourne, es la State Library of Victoria.

Esta biblioteca situada en pleno corazón de la ciudad es preciosa por fuera, pero sobre todo por dentro.

Fue establecida en 1854 como la Biblioteca Pública de Melbourne, por lo que es la biblioteca pública más antigua de Australia, y una de las primeras bibliotecas gratuitas del mundo.

Lo que más mola de todo son las vistas desde el piso más alto a la sala de lectura La Trobe, presidida por la imponente cúpula.

Es posible que tengas que esperar unos pocos minutos para utilizar el ascensor, pero te aseguro al 100% que no te arrepentirás.

Como actividad adicional, echa un vistazo al museo del libro e historia de Australia. Lo más destacable de esta exhibición es la armadura utilizada por el archiconocido bandolero australiano Ned Kelly.

Barrio y playa de St. Kilda

Melbourne es también uno de los puertos comerciales más importantes del país, debido a su situación dentro de la Bahía Port Phillip.

Esto hace que existan una serie de playas urbanas muy accesibles desde los suburbios del sur de la ciudad.

La playa más famosa de Melbourne es St. Kilda, la misma que da nombre al barrio entero donde está ubicada. Esta es una zona con mucho encanto y un ambiente distinto al resto por su cercanía al mar.

Puedes saborear un típico fish and chips en la arena, siempre prestando atención a las traicioneras gaviotas. O también tienes la posibilidad de deleitarte con uno de los muchos restaurantes italianos de la calle principal Fitzroy Street.

Qué hacer en Melbourne
Qué ver en Melbourne: El muelle de St. Kilda.

Aparte de la playa, tienes el antiguo parque de atracciones Luna Park, con la mítica entrada de la cara gigante con la boca abierta.

Pero la actividad por excelencia en este barrio de Melbourne ocurre al atardecer. Cada día, una pequeña colonia de diminutos pingüinos azules vuelve del mar a dormir al muelle de St. Kilda.

Itinerarios de viaje

Ahora vamos a ver una serie de itinerarios de viaje que te ayudarán a aprovechar tu tiempo y dinero al máximo durante tu viaje a Melbourne.

De forma adicional, te he preparado un mapa virtual para que sitúes de manera visual todos los lugares imprescindibles mencionados.

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

Así te será más sencillo localizar todos los puntos de interés, y podrás además personalizar tus itinerarios más fácilmente.

1. Qué ver y hacer en Melbourne en 1 día

En el lamentable caso de que solamente dispongas de 1 día en la ciudad de Melbourne, vamos a tener que quitar cosas.

Creo que lo mejor sería concentrarse en el CBD para poder ir a todos los lugares a pie sin volverse loco.

Qué ver en Melbourne
Qué hacer en Melbourne: Callejones con bares y graffitis.

De todas formas, te recomendaría una estancia mínima de 2 días completos y 2 noches en Melbourne. Así te será posible tomártelo con un poco más de calma y llevarte una mejor impresión de la ciudad.

Día 1 en Melbourne

Comenzaremos nuestro itinerario del primer día desde el símbolo principal de Melbourne: Flinders Street Station.

Este es nuestro centro de operaciones, y el lugar desde el que acceder a cualquier sitio que se te ocurra.

Si me has hecho caso y has venido en verano o en marzo, los días son muy largos y vas a poder aprovecharlos al máximo. Como norma general, te diré que madrugues todo lo que te sea posible cada uno de los días que pases por Melbourne.

Aprovecha el momento del día que mejor tiempo haga para acercarte andando al Shrine of Remembrance, dando un paseo por los Royal Botanic Gardens.

Si está lloviendo y hace frío, tienes la alternativa también gratuita en esa zona de la National Gallery of Victoria.

Al volver al centro, puedes seguir este orden lógico por ejemplo:

  1. Federation Square.
  2. ACMI.
  3. Hosier Lane.
  4. AC/DC Lane.
  5. State Library of Victoria.
  6. Royal Exhibition Building y Carlton Gardens.

Para moverte más fácil y sin cansarte, recuerda los 2 truquillos de los trams gratuitos en el centro de Melbourne. 😉

El mejor sitio para comer algo y recuperar fuerzas es Chinatown, donde encontrarás la mejor relación calidad-precio. Sigue la calle principal Swanston Street hacia el norte y verás la entrada a mano derecha.

2. Qué ver y hacer en Melbourne en 2 días

Como puedes ver, prácticamente nos hemos ventilado las atracciones turísticas más importantes de Melbourne en el primer día.

Esto está diseñado a posta, y es que en el segundo día te propongo un plan más tranquilo de pasear y disfrutar.

Qué hacer en Melbourne
Qué ver en Melbourne: Galería Block Arcade.

Además, si no te ha dado tiempo a ver todo en la jornada anterior, siempre puedes jugar con el itinerario y meter más lugares aquí.

Día 2 en Melbourne

De nuevo, en nuestro día 2 empezaremos en nuestra querida estación de tren de Flinders.

Cruza la calle y dirígete hacia Degraves Street, donde verás una serie de cafeterías muy monas al más puro estilo romano. Desde aquí recorreremos las galerías más impresionantes de Melbourne.

No tiene perdida, así que continúa recto por Centre Pl y atraviesa las 3 galerías en este orden:

  1. Centreway Arcade.
  2. Block Arcade.
  3. Royal Arcade.

Dependiendo del tiempo que te haya tomado recorrerlas, puedes seguir subiendo hacia el Queen Victoria Market o no.

Hoy podrías ir a comer y tomar algo al barrio de Fitzroy, por ejemplo. Dedícale un par de horas de tu día para conocerlo sin prisas.

Termina la jornada en el muelle de St. Kilda si no tienes más días en Melbourne. Deberías de llegar 30 minutos antes del atardecer si quieres tener sitios para ver los pingüinos.

Para llegar, toma el tram número 3/3a, 16 o 96, y bájate en la siguiente parada cuando veas el mar y la playa.

3. Qué ver y hacer en Melbourne en 3 días

¿Te has quedado con ganas de más y quieres cosas extra que ver en Melbourne?

No worries mate! (dicho MUY popular en Australia).

Qué ver en Melbourne
Qué hacer en Melbourne: Casitas en la playa de Brighton Beach.

Ya te he dicho que esta ciudad tiene muchísimo más de ofrecer de lo que parece a simple vista, así que vamos allá.

Día 3 en Melbourne

Has adivinado. En nuestro tercer día vamos a comenzar exactamente en el mismo punto que los 2 anteriores.

Esta vez nos subiremos al metro en dirección a Sandringham, para bajarnos en la estación de Brighton Beach. La idea hoy es ir a sacar fotos a las preciosas casetas de esta famosa playa y relajarnos por allí.

Camina unos 10-15 minutos hacia el norte por el paseo de la costa. Si el día está despejado y sin ninguna nube, podrás ver a lo lejos los rascacielos de Melbourne justo detrás de la bonita playa con sus casitas.

Una opción es ir andando hasta St. Kilda desde aquí, lo que te llevará unas 2 horas a ritmo dominguero.

Si ya has estado en dicho suburbio, vuelve al metro y bájate en la estación de Prahran para visitar Chapel Street. Este es un barrio brutal para comer cosas ricas sin vender un riñón.

Como broche final, vuelve al centro y pasea por el río Yarra y la zona del Crown Casino a la noche.

4. Qué ver y hacer en Melbourne en 4 días

Además de los 2 días y 2 noches que te he comentado antes para pasar en Melbourne, te pido por favor que reserves 1 o 2 días más.

Es por una buena causa, y es que el mejor road trip de Australia bien merece el esfuerzo en mi opinión. La Great Ocean Road es una de las zonas más bonitas del país sin ninguna duda.

Qué hacer cerca de Melbourne
Qué ver cerca de Melbourne: Playa de los 12 Apóstoles.

Preferiblemente hecha en vehículo alquilado y a tu aire, pero también se puede ir con un tour organizado.

Escapada a la Great Ocean Road

Este día vamos a salir prontito desde Melbourne en dirección al pueblo costero de Torquay, donde empieza la Great Ocean Road.

Mundialmente famoso en el ámbito del surf, por tratarse del pueblo donde se fundaron las marcas de Rip Curl y Quiksilver.

Cerca se encuentra la mítica playa de Bells Beach. Es aquí donde se celebra el certamen de surf más antiguo del mundo entero.

Estos son los puntos que no te puedes perder en la Great Ocean Road:

  1. Torquay.
  2. Bells Beach.
  3. Anglesea.
  4. Aireys Inlet.
  5. Lorne y Teddy’s Lookout.
  6. Memorial Arch.
  7. Kennet River (para ver koalas en libertad).
  8. Apollo Bay.
  9. Cabo Otway.
  10. Gibson Steps.
  11. Playa de los 12 Apóstoles.
Leia Também  Por que a crise é sua oportunidade de fazer uma ótima viagem

12 Apostles Beach es mi sitio preferido de todo Australia, y ya no sé cuántas veces habré podido estar.

Los atardeceres desde su mirador son de otro mundo. Creo que nunca me aburriré de repetir.

5. Qué ver y hacer en Melbourne en 5 días

Si tienes a tu disposición más días, te propondría que aprovecharas 1 de ellos en alargar tu escapada a la Great Ocean Road.

Esta carretera y zona costera se disfruta doblemente cuando se recorre de manera calmada.

Qué ver cerca de Melbourne
Qué hacer cerca de Melbourne: Playa de Loch Ard Gorge.

Pasar 1 noche en uno de los bonitos pueblos costeros es una experiencia que debería estar en tu lista. Un buen desayuno en una casita de campo de la zona rural australiana es algo que no olvidarás fácilmente.

Día 2 en la Great Ocean Road

Puedes madrugar más que nunca y presenciar el amanecer en la Playa de los 12 Apóstoles. Lo cierto es que pocos comienzos de día tendrás mejores que este, pero reconozco que no es para todo el mundo.

Si como yo, eres un poco perezoso y te cuesta madrugar, tómatelo con tranquilidad y a tu ritmo. Hoy no hay prisas de ningún tipo.

Puede ser que el día anterior no te diera tiempo, por lo que deberías empezar la jornada de hoy visitando Loch Ard Gorge. Se trata de una preciosa playa escondida por altos acantilados y formaciones rocosas, con cierta historia detrás.

En tu segundo día por la Great Ocean Road, estos son tus puntos de parada más relevantes:

  1. Loch Ard Gorge.
  2. Port Campbell (buen sitio para pasar la noche).
  3. London Bridge.
  4. The Grotto.
  5. Bay of Martyrs y Bay of Islands.
  6. Sherbrook River.
  7. Warrnambool.
  8. Port Fairy.

Port Fairy es uno de los pueblos pesqueros más bonitos de Australia en mi opinión, pero se encuentra fuera de la Great Ocean Road.

Comprueba con tu GPS que va a darte tiempo de visitarlo antes de dirigirte hacia allí. Cuenta con 2 horas por lo menos para el paseo al bonito faro y costa.

6. Qué ver y hacer en Melbourne en 6 días

En el caso que tu estancia en Melbourne y alrededores sea de 6 días, te diría de pasar 3 días enteros en la Great Ocean Road de relax.

Pero si tienes 1 semana completa, voy a proponerte otro plan adicional para conocer uno de los Parques Nacionales más espectaculares de Australia.

Qué hacer cerca de Melbourne
Qué ver cerca de Melbourne: Wilsons Promontory.

No es otro que el localmente famoso Wilsons Promontory. Aprovecharemos el viaje de vuelta en nuestro último día (día 7) para visitar también la conocida Phillip Island.

Escapada 2: Wilsons Promontory

Este imponente Parque Nacional es una muestra difícil de superar de la naturaleza australiana en todo su esplendor.

Si lo que quieres es ver fauna autóctona en libertad (canguros, wallabies e incluso wombats), este es el lugar que no te puedes perder por nada del mundo.

También lo es si te gusta el senderismo o trekking pero todavía no te atrevés con montañas de alto calibre. Esta reserva natural dispone de caminatas para todos los distintos niveles y estados físicos.

Pasar la noche en el camping principal de Tidal River es una manera inmejorable de respirar aire puro y dormir debajo del espectacular cielo estrellado.

Otro de los puntos álgidos (literal y figuradamente) del parque es el mirador desde la cima del Monte Oberon. Tardarás un par de horas en subir a paso tranquilo, pero las vistas bien merecen ese o el doble de esfuerzo.

Squeaky Beach es la playa con la arena más blanca y fina del estado de Victoria, y es absolutamente preciosa.

7. Qué ver y hacer en Melbourne en 1 semana

Para nuestro último día en los alrededores de Melbourne, aprovecharemos que nos hemos desplazado hacia el sur para visitar otro lugar destacado en el camino de vuelta a la ciudad.

Es posible que Phillip Island te suene del Gran Premio de motociclismo de Australia. Y aunque su circuito sea aliciente suficiente para los amantes del motor, lo cierto es que esta isla ofrece muchísimo más.

Qué ver cerca de Melbourne
Qué hacer cerca de Melbourne: Formaciones rocosas en Phillip Island.

Playas salvajes para hacer surf, naturaleza impactante y animales por doquier son algunos de los atractivos.

Día 2 en Phillip Island

El objetivo hoy es llegar a Phillip Island lo más temprano posible para pasar el día entero en ella y a continuación volver a Melbourne para dormir en la ciudad.

Si todavía no has tenido la oportunidad de ver koalas o wallabies en Australia, puedes hacerlo en Koala Reserve.

Esta reserva natural trabaja a modo de santuario, ofreciendo cuidados y preservación de los koalas heridos de la zona. No es lo mismo que verlos en libertad, pero por lo menos contribuyes a mantener la especie.

Pero la atracción más grande de esta isla en materia de fauna autóctona, es sin duda el Penguin Parade. Nosotros fuimos y nos pareció caro y demasiado en el límite de los derechos de los animales.

No voy a entrar en la ética de dicha actividad aquí, pero puedes crear debate en los comentarios más abajo si quieres. Estaré encantando de contestarte y darte mi opinión más detallada.

Aparte de las actividades mencionadas, la naturaleza salvaje de Phillip Island es motivo suficiente para conocerla.

Dónde comer y beber en Melbourne

Melbourne está considerada por los australianos como la capital gastronómica del país. Sus habitantes presumen de ser unos auténticos conocedores de la comida y bebida local e internacional.

Si tú también eres de los míos y comer es uno de tus placeres preferidos, estás de suerte porque este apartado es para ti. 😉

Como ya te he dicho antes, Australia destaca enormemente por su gran multiculturalidad. Esto es algo que se puede ver cuando paseas por las calles de la ciudad y prestas atención a la variedad de restaurantes.

Pero lo mejor de todo es que estos locales sirven comida típica y original de cada uno de sus respectivos países.

Es por esto que verás restaurantes de ramen llenos de japoneses o restaurantes de dumplings hasta arriba de chinos.

Te aconsejo no continuar leyendo si tienes hambre o todavía no has comido nada… ¡avisado quedas!

1. Hotel de comida tradicional Aussie

En Australia existen una serie de “hoteles” tradicionales que son lo más parecido a los pubs del Reino Unido.

Antaño, estos lugares ofrecían habitaciones a la vez que comida y bebida, y es por ello que se llamaban Hotel. Algunos de ellos todavía lo siguen haciendo y combinan a la perfección estas 2 facetas.

Si no te importa, aquí nos vamos a concentrar solamente en la comida, que es a lo que hemos venido a hablar.

Estos hoteles son las mejores opciones que tienes para probar comida tradicional australiana al 100%. Este tipo de cocina está muy influenciada por la británica, así que tampoco te esperes nada superespectacular.

Los platos suelen ser simples pero contundentes y grandes de cojones, eso sí. Muchas personas podrían cenar simplemente comiendo las patatas fritas de acompañamiento de la carne.

Te recomiendo pedir el típico chicken parma, que consiste en pechuga de pollo rebozada con tomate y queso por encima.

Estos son los 5 hoteles tradicionales que más me han gustado de entre todos los que he tenido el placer de probar:

  • Prahran Hotel.
  • Temperance Hotel (barrio de South Yarra).
  • Grace Darling Hotel (barrio de Collingwood).
  • Imperial Hotel.
  • The Mail Exchange Hotel.

En cualquiera de ellos vas a comer bien y podrás probar la comida australiana.

Qué hacer en Melbourne
Qué comer en Melbourne: Carne de canguro en Hotel Aussie.

Incluso si quieres puedes probar la carne de canguro, pero te advierto que es un plato fuerte.

2. Italianos y pizzerías clave

Uno de los estilos de cocina favorito por los australianos es la italiana. Este hecho tiene que ver con que gran parte de la población local tenga padres o abuelos nacidos en Italia.

La calle por excelencia que ofrece este tipo de comida es Lygon Street en el barrio de Carlton. Por algo se la conoce como la “Little Italy” de la ciudad de Melbourne.

A veces puedes ver cocinando en estos restaurantes a la mítica nonna italiana, utilizando sus años de experiencia para preparar platos riquísimos.

Si andas buscando una buena y auténtica pizza italiana, te aseguro que Melbourne no te va a decepcionar. También tienes las opciones baratas de “pizza de batalla”, pero a veces apetece algo más deluxe. 😉

Aquí te dejo 3 restaurantes italianos que te transportaran a su país de origen:

  • Tipo 00.
  • Da Guido Melbourne la Pasta.
  • Trattoria Emilia.

Y también esta lista de las mejores pizzerías de la ciudad:

  • +39 Pizzeria.
  • 400 Gradi.
  • DOC Pizza and Mozzarella Bar.
  • 11 Inch Pizza Little Collins.
  • A25 Pizzeria South Yarra.

Son mis favoritas. 😉

3. Hamburguesas y “fast food” del bueno

Tampoco podía faltar aquí un plato típico en la cocina mundial como las hamburguesas. Considerada a veces como cómida rápida, en Melbourne tienes locales especializados en este arte que te harán cambiar de opinión.

Los australianos acostumbran a darle su propia seña de identidad a casi todos los platos famosos.

En este caso en concreto, la hamburguesa aussie suele llevar una rodaja de remolacha que le da un toque dulce. Debo reconocer que si no es demasiada cantidad, le da un rollo distinto que no está nada mal.

Pero si lo tuyo es la hamburguesa con queso clásica y sin florituras, no te rayes porque también se sirve en todos los sitios.

Estos serían mis 5 locales favoritos donde sirven hamburguesas cojonudas en Melbourne:

  • Hello Sam.
  • Betty’s Burgers.
  • Grand Trailer Park Taverna.
  • 8bit.
  • The Merrywell.

¡Que aproveche!

4. Cocina asiática y fusión

La comida proveniente de países asiáticos es sin duda alguna la más popular de la ciudad de Melbourne. Aquí tienes literalmente miles de opciones distintas de todos los tipos que se te ocurran.

Recuerda además que la gran mayoría la llevan personas provenientes del país en concreto, por lo que la calidad en la ejecución está casi asegurada.

No tiene nada que ver un restaurante japonés original en Melbourne con el que tienes en tu pueblo donde el cocinero es tu primo.

Además, si te sientes aventurero puedes probar las alternativas de cocina fusión asiática con toque australiano.

Qué comer en Melbourne
Qué hacer en Melbourne: Ramen de pollo en Yoku Ono.

Este es mi TOP5 personal de restaurantes asiáticos en Melbourne:

  • Hakata Gensuke Ramen.
  • Rice Paper Scissors (Vietnamita).
  • Chin Chin (Thailandesa y fusión).
  • Juicy Bao (Dim sum chino).
  • Hawker Hall (Street food del Sudesde asiático).

En cualquiera de ellos comerás buena comida asiática.

5. La mejor relación calidad-precio

Y por último, pero no por ello menos importante, vamos a ver cuáles son esos sitios con la mejor relación calidad-precio.

Quiero que tengas esto muy en cuenta, ya que no te voy a decir los más económicos sin más. Creo que ir siempre a la opción más barata no es la mejor decisión, especialmente en cuanto a comida se refiere.

En mi opinión, es mejor gastarse un poco más en alimentación que andar rascando unos pocos dólares para meterte algo a la boca que no estás disfrutando.

Sin enrollarme más, voy a decirte cuáles son mis lugares preferidos de Melbourne donde la comida es sorprendentemente barata para la calidad que ofrece.

  • Bimbo Deluxe y Lucky Coq. Estos 2 pubs hermanos dan la posibilidad de pedir pizzas muy ricas por tan solo 4 dólares australianos. Ubicados en Fitzroy y Chapel Street respectivamente 🙂
  • Sushi Hub. Si buscas los rolls de sushi más ricos recién hechos y para llevar, deja de buscar.
  • Lentil As Anything. Comida vegetariana y vegana donde pagas lo que tú creas conveniente por lo servido.
  • Burger Project. La mejor opción de hamburguesas baratas si no quieres repetir McDonalds o Burger King otra vez.
  • Wonderbao. Deliciosos y tradicionales baos chinos con distintos rellenos por 4 pavos.

No te podrás quejar, ahora ya sabes dónde ir a comer en Melbourne. 😉

5 consejos para que tu viaje a Melbourne sea inolvidable

Antes de terminar, no quería dejar pasar la oportunidad de darte unos consejos para sacar lo máximo de tu viaje a Melbourne.

Como ya te he dicho, mi propósito es hacer de tu viaje por Australia una experiencia que no olvides jamás.

  1. Si te estás volviendo loco con tanta información, itinerarios y trucos, pide consejo y ayuda. Estaré encantado de echarte un cable si me escribes un comentario más abajo. 🙂
  2. Pregunta siempre a las guías locales o los trabajadores de tu hospedaje. La gente autóctona es la que tiene la información más valiosa para aprovechar en tu visita a Melbourne.
  3. No te centres únicamente en conocer los lugares imprescindibles. Esta ciudad tiene infinidad de sitios ocultos fuera de lo habitual que son merecedores de ser vistos.
  4. A quien madruga Dios lo ayuda. Ya tendrás tiempo para dormir hasta las tantas cuando estés de resaca. En Melbourne aprovecha las horas tempranas para evitar las aglomeraciones de turistas asiáticos.
  5. Organiza los días de tu itinerario en función del pronóstico del tiempo para disfrutar más de las actividades al aire libre.

Y lo más importante de todo: ¡pásalo en grande y olvídate de tus preocupaciones!

¿Quieres todavía más? Pues tengo un regalo para ti

Como estoy seguro que te has quedado con ganas de más, tengo un regalo para ti:

Esta es mi guía gratuita de las 15 claves que debes saber antes de tu primer viaje a Australia.

Ahí encontrarás la información más importante que necesitas conocer para no cagarla antes de empezar a organizar tu soñado primer viaje a Australia.

Espero de corazón que hayas disfrutado mucho del artículo y que te resulte tremendamente útil en tu futura visita a Melbourne.

Cuéntame por favor qué es lo que más te ha gustado y qué dudas te surgen a la hora de viajar a Melbourne.

No quería perder la oportunidad antes de despedirme de recomendarte encarecidamente también uno de los mejores artículos sobre Australia que encontrarás en Internet en castellano:

Viajar a Australia: qué ver, consejos y trucos low cost para recorrerla por 15€ al día.

Lo dicho, te esperamos en los comentarios 😉

¡Un fuerte abrazo!

Únete a los más de 60.000 viajeros  inteligentes

Ver información de privacidad

Podrás DESCARGAR GRATIS el manual definitivo para ganar dinero mientras viajas. Además, recibirás en tu Email mis mejores artículos y …. ¡7 trainings gratuitos!

Blogs que podem interessar:

https://sunflowerecovillage.com/phen24-portugal-dois-comprimidos-para-perder-peso-de-solucao-de-24-horas-para-baixar-de-peso/

https://horseshoecraftandflea.com/colaboracao-entre-belvita-e-alimmenta/

https://marciovivalld.com.br/yoga-quente-nao-e-melhor-para-seu-coracao-estudo/

https://cscdesign.com.br/os-15-corpos-de-biquinis-de-celebridades-mais-impressionantes-de-2017/

https://halderramos.com.br/compreendo-a-medicina-molecular-e-suas-principais-vantagens/

https://ivonechagas.com.br/como-diminuir-sem-dietas-que-nao-funcionam/

https://roselybonfante.com.br/se-voce-e-jovem-solteiro-e-em-casa-para-as-ferias-ha-60-de-chance-de-ter-sexo-casual/

https://lingualtechnik-deutschland.org/3-resolucoes-de-ano-novo-todas-as-familias-podem-e-devem-fazer/

https://rosangelaegarcia.com.br/diabetes-e-mentalidade/

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br
Post criado 1627

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo